sábado, 20 de junho de 2009

Cada um, cada um...


Eu sou um gay que odeia...
- Jesus Luz
- Cristiano Ronaldo
- romancezinhos mela-cueca
- Robert Pattinson, Zac Efron
- roupas de balada e dark-room
- Julia Roberts, Renée Zellweger
- as músicas de Britney Spears, Beyoncé, Rihanna...
- Ricky Martin
- sauna gay
- Ronaldo Ésper (por favor, morra)
- academia, malhação
- sobrancelhas depiladas
- Stefhany
- militância, levantar bandeiras
- cultura emo
- Cláudia Leitte (ah, o mundo seria tão melhor...)
- orkut e MSN
- Reynaldo Giannechini
- álcool
- Sacha Baron Cohen (por favor, morra)
- MTV
- Mariah Carey, Lily Allen, Amy Winehouse...
- futilidade pop, coisas "fashion", SPFW

Eu sou um gay que até acha legal, mas não se importa tanto assim com...
- Parada Gay
- Madonna
- gírias GLBT
- techno, trance, psy e todos os derivados
- Beth Ditto
- boates, baladas
- Lady Gaga
- Gay Day em parques temáticos
- Mandy Moore
- seriados de TV paga
- ir à praia, ver o mar, pensar na vida
- drag queens (só as caricatas clássicas, como Silvetty Montila)
- "O 3.º Travesseiro"

Eu sou um gay que adora...
- folk music
- filmes de pancadaria e clássicos cult
- Malvino Salvador
- camiseta básica, jeans e All Star
- Ryan Reynolds
- amigos heterossexuais
- Katylene.com
- o movimento punk inglês de 60 e 70
- indie music dos anos 90
- pêlos, barba
- Murilo Benício
- Calvin e Haroldo
- Clint Eastwood
- os filmes de David Fincher, Paul Thomas Anderson e Darren Aronofsky
- escrever cartas à mão
- Chris Evans
- jogar futebol (só jogar, assistir não...)
- falar e ouvir palavrões
- Heath Ledger
- tocar violão
- sexo monogâmico
- cinema
- Eduardo Noriega
- quadrinhos (Authority, Liberty Meadows...)
- filmes de faroeste dos anos 50 e 60
- usar ternos e roupas sociais
- Dominic Cooper, Anton Yelchin, Giovanni Ribisi
- literatura inteligente, livros do Nick Hornby
- casais gays que fogem de baladas
- Alexi Murdoch, The Shins, Bert Jansch
- histórias de Michel Gondry e Spike Jonze

Eu sou um gay que prefere...
- perder o sábado à noite no cinema
- usar palavras do dicionário Aurélio
- trocar gibis e DVDs com o namorado
- usar a madrugada para dormir abraçado
- conversar com o namorado na cafeteria
- ler livros que me complementam
- ir à boate para ver os shows das caricatas
- usar roupas que me façam sentir confortável
- discrição

E por causa de todas estas coisas, tem um monte de gente que conheço que quase perdeu a fé na humanidade quando revelei meu grande segredo obscuro... sou gay. E estas pessoas que conheço, que conviveram comigo por algum tempo e que fizeram parte da minha rotina, com grau de importância suficiente para que eu me sentisse à vontade para externar minha condição, sempre usavam o mesmo chavão justificativo para cobrir o choque: mas você não parece gay... Elas esperavam mesmo que eu começasse a sofrer uma metamorfose, demonstrar trejeitos, usar roupas femininas, virar travesti. Eu não posso ser gay... e homem ao mesmo tempo. Inconcebível.

O que tento explicar à estas pessoas é que você não é o que você faz. Sabe-se lá como e por qual razão, algum ser humano determinou, em algum momento da história do mundo e em algum lugar do universo, que os homossexuais obrigatoriamente agem de uma determinada forma, gostam de determinadas coisas, vestem determinadas peças. Algum idiota sem ponto de vista próprio simplesmente impôs que suas ações determinam o que você é. Sifudê.

A culpa é de quem? Sinceramente, acho que é de todos nós. Eu e o R. vamos aos points gays de vez em quando e sempre nos divertimos muito ao observar algumas pessoinhas que exageram bastante em sua montação. (uma drag que vimos certa ocasião, que usava um tecido de cetim e simplesmente ESQUECEU de "esconder" seu, bem... aquilo. Essa imagem estampa meus pesadelos quase toda noite.) Logo em seguida, me sinto mal por causa dessa merda toda que é o pré-julgamento. Porra, todo mundo pode ser ou não ser qualquer coisa. O cara é feliz usando vestido e deixando o pinto solto, tomando um ventinho? Que ótimo. Em outra ocasião, um amigo se sentiu à vontade comigo e contou que é gay. Mas ele não tinha NADA de trejeitos. Nada! Fiquei chocado? Pois é, na hora fiquei. E depois contei também de mim. A reação foi a mesma. Deveríamos ter nos surpreendido tanto? Deixamos de ser seres humanos porque somos gays, bi, heteros, lésbicas?

E é por isso que todo mundo acha maior esquisito quando revelo minha homossexualidade. Pior ainda quando eu e o R. contamos a qualquer um, gay ou não, que somos um casal há anos. Milagre!, Corajosos!, Exemplo!, Difícil ver isso! é o que mais ouvimos. Claro, "todo bicha é promíscuo", não é isso que ensinam por aí?

Preciso confessar uma coisa: há seis anos, não sinto vontade alguma de fazer sexo com outra pessoa a não ser o R. Às vezes quero fazer amor, às vezes quero fazer sexo e às vezes quero trepar... mas só com o R. - Seria eu um alienígena? Um X-Men? Um Dalai Lama? Um deus evoluído de 500 anos antes de Cristo encarnado no corpo de um pseudo-jornalista indie de vinte e tantos anos?

Acho que não (embora a idéia de ser um X-Men e ter um poder mutante fosse deveras interessante, hehehe). Acho que sou só um cara normalzinho mesmo. Um homem, que gosta de "coisas de homem" e de dormir com homens. Antes de tudo isso, sou um sujeito comum, igual a todo mundo e diferente de todos, com gostos particulares e idéias variadas, que não precisa externar a condição de "cueca que curte cueca" usando roupas espalhafatosas ou substituindo termos corretos por gírias do meio (embora morra de rir com elas). Você nunca vai me ver com roupas berrantes, nunca vai me ver ouvindo Britney, nunca vai me ver com as sobrancelhas desenhadas, nunca vai me ouvir dizendo "aloca".

Mas por favor, não me interprete mal. Não estou condenado quem é diferente de mim, muito pelo contrário. Acho lindo alguém ter culhão de agir da forma que quer, que se sente bem. Vivemos em um mundo de aparências e bato palmas para qualquer um que desafie convenções e ouse ser o que é. Viva as diferenças! Só acredito que eu não seria autêntico, não seria eu mesmo, desta forma... Não é isso, esse negócio de "SER FELIZ", o que estamos de fato tentando alcançar no final de tudo? ;-)

Ass.: L.

4 comentários:

Fábio disse...

Perfeito!!!

Gabriel disse...

sou novo no blog, e voce parece ser tão legal .
:)
aUHAUuhaUHAUHAuhauh

pss_rj_xd disse...

pois eh nao eh?rrsrsrsrs

eu nao to nem se eu pareço gay, bicha, boiola
ou se tenho jeito de homem muy macho....

se gostou blz, caso contrario, sinto muito

quer falar mal? a vontade... promoçao gratis da minha pessoa

Anônimo disse...

Não participo de militâncias, mas não posso dizer que odeio. Diante de tanta ignorância que leio e ouço a respeito do assunto "homossexualidade", considero muito útil a existência dessas militâncias.

Já quanto a adorar o Murilo Benício, tô contigo. Quando Deus distribuiu gostosura, aquele cara entrou umas cinco vezes na fila.

Leia também:

Related Posts with Thumbnails