quinta-feira, 16 de abril de 2009

O dia do Casamento


Sempre que eu e meu namorado deliramos sobre o futuro (ainda incerto), falamos de juntar os trapinhos, e oficializar nossa união. E como seria? Apesar de grande parte das pessoas saberem de nosso namoro, há outra imensidão sem nem idéia que ele existe. É uma complicação.

O grande problema, pode surgir da família. Mãe, a gente nem conta, pois ela de coração já sabe, e com certeza de um jeito ou de outro acaba abençoando a união. Mas, e os tios mais velhos. Sim, vocês podem pensar: “são um bando de gente preconceituosa”. Mas, como a palavra fala, já houve um pré conceito.

Estamos em um mundo pró-informação, mas tem muitas das pessoas que estão entre nós, que receberam outro tipo de educação e entendimento. Não podemos culpá-los 100%, eles cresceram e se desenvolveram vendo o que é certo ou errado, para eles ficaria muito difícil aceitar que o que eles pensavam a vida inteira é errado.

Muitos pensamentos podem mudar com o coração, com a aceitação de alguém que eles amam muito, mas não há como do nada tirar este gatilho de pré conceito já existente há anos. Mas, podem ter certeza, se eles pudessem escolher, queriam que fossemos “normais”.

E os amigos, imagina aquele amigo que você fala há anos, que trocaram fotos de mulheres peladas, que já fizeram listinhas de mulheres mais gostosas do mundo, descobrisse. Sim, no fim das contas, haverá sacrifícios, muito difícil este amigo de longa data aceitar.

Assim, você pensa: “se fosse realmente amigo, aceitava”. Não é tão fácil assim. Eles podem até sentir traídos, enganados ou algo assim. Mesmo que o diga que já tive uma vida pregressa heterossexual, ele vai achar que sempre estive a mentir.

Aos poucos, o dia do casamento vai surgindo na sua cabeça, e a realidade é esta: no dia você não terá muitas pessoas que você gosta ao seu lado. E depois, dificilmente você vai recuperar estas pessoas.

Mas, se ficarmos sempre adiando este dia, por causa destas pessoas, passaremos a vida inteira vivendo sim uma mentira, e a enganando. E deixamos de viver a nossa vida, como ela deveria ser. Mesmo não sendo considerada “normal” ou não, por outras pessoas.

As.: R

3 comentários:

Rômulo disse...

olá, novamente...
acabei de fazer um comentário no outro blog de vocês... e acabei de ler "o lado sério"....

tava até rindo sozinho pq me identifiquei com algumas situações que vcs descreveram, não as do banheiro, que fique bem claro :P hehehe

mas sobre a infância, solidão e outros....

parabéns pelo blog, adorei o senso crítico de vcs....
obs: o tópico "com que roupa eu vou" foi perfeito, pq realmente existem pessoas sem noção do ridículo :P
abraço e parabéns novamente....

E! disse...

O futuro é muito incerto mesmo. Assim como todas as relações.

Ainda sofro por uma breve, porém intensa, relação que terminou. Problemas profissionais, familiares, pessoais (um tripé que meu ex e eu tentávamos a todo custo não deixar que nos abalasse, mas que no final se mostrou mais forte do que nós!) tudo se impõe diante de um decisão tão forte quanto O CASAMENTO.

Ainda quero me casar e sei que terei que transpor barreiras difíceis. Mas terei a pessoa certa ao meu lado (ou estarei de volta ao lado do meu ex...)

Parabéns pelo blog R!
Abraços no L!

Voyeur disse...

concordo em genero, numero e grau com esse post...

e ponto final!


abraços
http://thevoyeurman.blogspot.com

Leia também:

Related Posts with Thumbnails