sábado, 25 de abril de 2009

A Casa do Fim do Mundo


Mais uma dica de filmes para vocês. Trata-se de “A Casa do Fim do Mundo” (A Home At the End of The World), adaptação do romance do premiado autor de “As Horas”, Michael Cunningham. Estrelado pelo belo ator Colin Farrel.

O filme mostra a vida de Bobby Morrow (vivido por Farrel), que apesar das sucessivas tragédias em sua família, não te torna uma pessoa rancorosa e sim, algo apaixonante. Vivendo no subúrbio de Cleveland, tem um grande amigo, Jonathan Glover, que acaba virando uma grande relação dúbia: fraternal e carnal.

A relação aumenta, quando Bobby fica sozinho no mundo, e acaba sendo atraído pelos laços da família de Jonathan. E vivendo o dia a dia com seu amor inocente. Até que um dia, Jonathan parte para estudar em Nova York.

Anos depois, Bobby se vê sozinho novamente, e procura seu amigo em Nova York. E lá conhece a moderninha Clare (vivida por Robin Wright Penn), que divide o apartamento com Jonathan. E as coisas acabam entrelaçando entre os três, já que Clare alimenta uma paixão platônica por Jonathan e os dois juntos, pretendem ter um filho.

E assim, se sucede o filme. Várias trocas de papéis, amores poucos correspondidos e uma diferente visão de família. E não procurem cenas quentes entre Farrel e seu amigo (vivido por Dallas Roberts), pois a nuance gay entre os dois em bem discreta.

Bem, o filme não fala somente sobre relacionamento homossexual ou heterossexual, o filme fala sobre sentimentos, sem identidades ou sexo. Também é valido pela bela interpretação de Sissy Spacek (que faz a mãe de Jonathan). E pela primeira vez, vi um Colin Farrel mais doce, e as vezes até meio delicado. O que é meio inédito para mim.

Bom para ver abraçadinho com seu namorado ou amante ou namorada ou ficante ou... vocês sabem... é bom para ver com alguém juntinho.

Veja o trailler:



Depois dêem sua opinião ;)

Ass.: R

3 comentários:

Y disse...

Perfeito cara... Antes de qualquer coisa eu gostaria de parabenizar pelo(s) blog(s), principalmente pelo "lado sério" que eu desconhecia até pouco tempo, mesmo acessando o dxpp original freqüentemente.

Preciso dizer que esses seus diários de bordos são fantástico, pra mim então... posso dizer que são extremamente confortantes. Me identifico em muitas das suas situações, apesar de ser novo ainda (22 anos) e como pode imaginar ainda sofro bastante com certos receios e dúvidas na hora de tomar certas decisões devido a tanto preconceito, que ainda teima em existir... Curto bastante seu modo de pensar e avaliar o comportamento gay atual, até pq, assim como vc, sou bastante másculo e me orgulho disso (apesar de não discriminar de forma alguma quem não o seja).

Teus relatos além de me fazerem refletir bastante sobre o meu futuro, me dá esperanças de que podemos conhecer pessoas do bem, de boa índole e coração, como qualquer outra pessoa “hetero”, independente de nossa opção sexual e da conseqüente repressão social. Pq mesmo sendo novo, posso dizer que já tive minhas frustrações quanto a isso, inclusive já me preocupo se poderei achar alguém especial no futuro pra construir uma relação estável e feliz... Como pode imaginar (já que passou pelo mesmo que eu) meu atual canal de relacionamento é a Internet, infelizmente (o que é uma merda, convenhamos). já que não tenho costume de freqüentar meio GLS. Pra falar a verdade tenho um certo preconceito quanto ao mesmo, mas estou mudando de idéia depois de ler teus relatos, e disposto a experimentar, na esperança de encontrar alguém interessante e poder interagir sem receios, livre de olhares de censura.

Bom, desculpa o tamanho do post! Acabou sendo mais um desabafo do que um agradecimento. Mas a verdade é que não há muitas pessoas com quem conversar sobre isso na minha vida particular, apesar de alguns poucos amigos saberem da minha opção, família e parentes nem pensar ainda... Uma hora ou outra a solidão acaba predominando, como vc mesmo já falou sobre... e fica difícil lidar com tudo isso sozinho. O fato de ter me identificado com tanta coisa acabou me deixando um pouco emotivo.

Continue postando seus diários de bordo Ray, são fantásticos. Já ri muito e refleti bastante com as histórias. E acredite, ajudam muito, especialmente aqueles como eu, que nas suas próprias palavras, estão “entrando ainda pela porta dos fundos no mundinho gay”! haha

É isso, continue com o bom trabalho rapaz, abraços e tudo de bom pra vc e pro L!

g.boy disse...

Vou procurar pelo filme, com certeza!

Obrigado pela dica!

Voyeur disse...

entao fikou a dika...
ja ta na lista.
primeiro pq adoro filme de maneira geral.
segundo pq indicaçao falando q o filme eh bom ja aumenta as probabilidades.
e terceiro - mas nao menos imporante - tem o colin, q eh um tesao...

abraços

Leia também:

Related Posts with Thumbnails