sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Um Casal em Sampa – Parte 11 – O que é felicidade?


Bem, falar o que é felicidade é algo meio amplo. Mas, é um sentimento as vezes ignorados pelo ser humano. As vezes, o homem tem a mania de querer sofrer ou ampliar este sofrimento de tal maneira que deixa a felicidade bem tímida.

É claro, que este mal quase todo humano sofre (ou até todos, incluindo eu).

Estes dias estão bem complicados, problemas na casa, clima pesado, problemas familiares em Santos. E isto já é algo que com certeza vai deixar a felicidade ou até mesmo a percepção dela, bem longe.

Mas, se você prestar a atenção no dia ou até no que você conquistou, fazer pensamento positivo, lembrar de algo bom. Sabe aquele tipo de coisa, que você esta em pleno ônibus ou metro, e começa rir do nada por que se lembrou de algo bem engraçado. Tente se apegar a este instante, tente ampliá-lo.

Sei que é difícil, falo por experiência própria, sei que a regra é clara, a vida nos dá mais motivos para chorar do que para sorrir. Mas, se a gente ampliar estes sorrisos, chegar à cama no fim do dia e não ficar remoendo problemas, e sim apenas lembrando de coisas legais do dia.

Eu tentei esta terapia comigo mesmo. Neste último domingo, eu e o L. vimos um filme a tarde (o filme era “Preciosa”, depois comentarei sobre ele por aqui) e resolvemos terminar nosso dia na Paulista. Descemos no fim dela e fomos andar até o shopping onde iríamos jantar, depois de rodar na indecisão de escolher um local, fizemos nosso prato. Comendo, saboreando e conversando muito.

Depois fomos a um bar próximo a boate “A Loca”, paramos por lá numa multidão de gays conversando, e ficamos lá observando a galera, fazendo carinho, trocando beijinhos, bebericando um refrigerante, tudo de mãos dadas. Foi tão gostoso. E terminamos a noite com um sorvetinho e na banca de jornal.

Cheguei no meu apê peguei meu gibi e deitei na cama, dei um beijo de boa noite no já exausto L. e fiquei do lado dele. Pronto, comecei usar esta terapia. Comecei ao lembrar do dia, de como eu estava feliz com a pessoa que me ama e que eu escolhi, que como é um privilegio conseguir isto no meio de tanta gente que não consegue... e isto ao nível geral, até de heteros.

Passamos por tantas fases, invejas, fofocas, libertações familiares, até um pouco de solidão, mas vencemos tudo isto e estamos chegando aos 7 anos, e agora casados. E o pior de tudo que a inveja é tão grande que chegaram até falar que estamos juntos por carência. Pois é, esta carência já dura quase 7 anos :D

Sei que não estou no emprego que quero, muito menos o salário e o nosso apartamento não é 100 % nosso. E vamos conquistar tudo isto aos poucos. É claro que a depressão bate, as saudades, nossas vidas não foram e não são fáceis. Mas, como fiz no último domingo, vou tentar me apegar a felicidade. Fazer as pazes com ela, sei que é muito difícil, mas esta longe de ser impossível.

Então o meu conselho (que espero também usar), tente fazer isto, tente no fim do dia lembrar coisas boas, engraçadas, pensar no que você tem de bom com você. Não importa que seja seu namorado ou amigo ou emprego. O que importa é tentar ser feliz: dar risada, gargalhar ou mandar uma mensagem legal para alguém. Ou chegar e olhar nos olhos daquela pessoa bem querida e dizer: “eu te amo”, “eu te adoro” e com isto, transmitir um pouco de sua felicidade para alguém.

O que é felicidade? Não é só um estado de espírito, é também um momento, uma memória, um sorriso. Encontrá-la, talvez seja mais fácil do que a gente pense, basta a gente não querer afastá-la.

Então, dê um sorriso e seja neste momento um pouco feliz.

Ass.: R

2 comentários:

Renato D'Amore disse...

Esse post foi excelente. Gosto muito do blog de vocês, vocês realmente têm muita sorte de ter um ao outro.

Willian Alves disse...

Excelente postagem!!!

Leia também:

Related Posts with Thumbnails